LogoCitolab
×


Nosso Blog

Tumor do estroma mamário em paciente de 62 anos.

19/07/2019 Tumor do estroma mamário em paciente de 62 anos.

Paciente feminina, com 62 anos com volumosa massa em mama direita.

Macroscopicamente, massa sólida bem delimitada, com 1220g e 13,8x13,5x12 cm. Aos cortes, lobulada, acinzentada, com aspecto turbilhonado e com fendas e de consistência fibroelástica.

Aspecto microscópico ilustrado abaixo:

                 

                 

                 

                 

Diagnóstico principal: TUMOR PHYLLODES BORDERLINE. 

Tumor phyllodes ou Tumor Filóides; É um tumor do estroma mamário, bifásico assemelhando-se ao fibroadenoma, mas com componente mesenquimal hipercelular organizado em torno de espaços epiteliais / mioepiteliais benignos
Phyllo significa "folha" em grego, representa 1% dos tumores da mama.
Acomete mulheres com idade média de 45 anos e é raro em crianças ou homens.
Clinicamente apresenta-se como uma massa palpável discreta que aumenta rapidamente ou massa não palpável identificada na mamografia de rastreamento.
O aumento nodal axilar está presente em 17%, mas geralmente é reativo e não é devido à doença metastática.
Classifica-se histológicamente como benigno, limítrofe ou maligno; esta classificação tem forte valor prognóstico.
Recomenda-se o uso de terminologia de baixo grau / alto grau por causa da dificuldade em prever o comportamento baseado apenas na histologia.
Macroscopicamente apresenta-se como massa bem circunscrita, firme e volumosa; Nas lesões maiores é possível observar fendas e hemorragia ou necrose central.
Para o estudo histológico deve-se ter representatividade do tumor, pelo menos uma amostra  por cm de diâmetro e classificar com base na área de maior atividade celular e padrão arquitetônico mais florido.

Aspectos histológicos importantes para classificação como benigna, limítrofe ou maligna:

  • Caráter da interface normal do tumor
  • Proporção de estroma neoplásico para estruturas epiteliais
  • Figuras mitóticas / 10 campos de grande aumento.
  • Citologia anaplásica
  • Deve relatar a presença de tumor na margem, um dos principais determinantes da recidiva local.
  • Perfil imuno-histoquímico: positivo para vimentina e actina e negativo para queratina (CAM 5.2, CK7, AE1 / AE3), EMA, S100

O principal diagnóstico diferencial é com o fibroadenoma este sem fragmentação de tecido, sem celularidade estromal aumentada ao redor das glândulas, sem supercrescimento estromal, sem incremento de mitoses.

O status de margem positiva está significativamente associado à recorrência. 

O tratamento consiste na excisão local ampla com borda de tecido mamário não envolvido, dissecção nodal axilar não é necessária.

Galeria de fotos

Comentar


Outras notícias
Lesão vulvar em gestante de 29 anos

B.D.S., feminino, 29 anos, apresenta múltiplas lesões em placa, esbranquiçadas em vulva, 0,5 cm, indolores, realizada biópsia.

Leia +
Adenocarcinoma de cérvix relacionado ao HPV (tipo usual)

Abordagem da classificação tumoral baseada no padrão de invasão estromal (Sistema Silva).
Desafiador 30% - 50% de falsos negativos na citologia.

 

Leia +
Painel DST (IST) - Tranquilidade total para você e seu paciente

Infecções sexualmente transmissíveis - Agora é possível detectar, de uma única vez, seis diferentes patógenos com o Painel DST/IST.

Leia +
whatsapp Citolab